sexta-feira, 14 de julho de 2017

SEM COMENTARIOS

Exactly:

DESENRASCA


ANEDOTAS

Uma mulher estava tendo
relações sexuais em um
apartamento
de 20
andares de altura com
outro homem. Em seguida,
ela ouviu
seu
marido vindo ... ela disse
ao amante para ficar
como um
robôte e não
se mover.
Marido: O que é isso?
Esposa: Este é um robôte
eu comprei
pra ter sexo quando você
está viajando ... Marido:
Ok ...
entao vamos fazer
sexo agora ...
Esposa: Não querido ...
ontem comessou o meu
período, nao
da.
vou fazer uma xícara de
café para você ...
Depois que ela foi a
cozinha
o Marido disse: Porra,
estou tão excitado , eu vou
tranzar este
robôte .. Então ele tentou
tranzar eo homem
começou a falar
de um modo
robótico metálico ... robótico metálico ... "ERRO
DE SISTEMA ...
BURACO
ERRADO ... ERRO DE
SISTEMA ... BURACO
ERRADO ... "
Marido: Porra este robôte
não está
funcionando corretamente
... vou jogar -o para
fora da
janela
... O homem percebeu que
estava no 20º andar e
disse ..."
SISTEMA
ATUALIZADO ... Por favor
tente novamente ..

ANEDOTAS

Foto de Humor Sem Limites.

SEM COMENTARIOS

Foto de Humor Sem Limites.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

ANEDOTAS

HOSPITAL PSIQUIÁTRICO.

O teste da banheira.

Balde, colher ou copo???

Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao director:
- Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa de ser hospitalizado aqui?
O director respondeu:
- Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao paciente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. Depois decidimos se o hospitalizamos ou não em função do método que ele utilizar para executar a tarefa.



- Ah! Entendi. - disse o visitante
Uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.
- Não! - respondeu o director. - Uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo.  O que o senhor prefere?  Quarto particular ou enfermaria?

CONCLUSÃO:
"Às vezes a vida tem mais opções do que as oferecidas, basta saber enxergá-las".


Agora diz a verdade... Também escolheste o balde, não foi? P’rá semana vou lá ao hospital fazer-te uma visitinha.

ANEDOTAS

Fidelidade aos princípios ... contratuais!
O João era conhecido de todos no bairro por ir vivendo a vender
castanhas lá num recanto.
Certo dia, para admiração de vizinhos e conhecidos, mudou-se para a
entrada de um Banco.

Um seu amigo passou, viu-o e perguntou-lhe:
- Então João, passaste do bairro para a porta do Banco?!...
Mas como é que te lembraste de mudar?
Responde o humilde vendedor de castanhas:
- Aqui sempre estou melhor na vida, as pessoas entram no banco para
levantar dinheiro, chegam aqui e compram logo 3 ou 4 saquinhos de
castanhas... Éh pá, é só dinheiro a entrar!...
Agora a vida corre-me bem melhor. Vais ver, vou ficar rico...
O amigo, vendo a alegria do João diz-lhe:
- Eh pá, já agora que estás bem, empresta-me aí 50 €...
O João responde-lhe:
- Não posso, pá!
E o amigo diz-lhe:
- Porra pá, sou teu amigo!... Desenrasca-me.
O João volta a responder-lhe:
- Sinto muito mas não posso.
O amigo insiste, já chateado:
- Porra João, então os amigos são para quê?...
Então o João explica-lhe:
- Nada disso, meu, é o contrato que fiz com o banco:
Nem eles vendem castanhas lá dentro, nem eu empresto dinheiro cá fora!

SEM COMENTARIOS

Foto de Anedotas Portugal.

SEM COMENTARIOS

Foto de Raul Oliveira Alves.